sexta-feira, 13 de novembro de 2015

O que Mariana nos Ensina

Somos todos sobreviventes. Se você está lendo este artigo é porque você administrou satisfatoriamente os riscos que você foi confrontado e conseguiu superá-los.
Com o aprendizado adquirido nas vitórias e pequenas derrotas sua capacidade de sobrevivência ficou ampliada. Nem todos os riscos que você enfrentou foram vencidos com sucesso, mas os riscos maiores, que ameaçaram sua sobrevivência foram superados. Você é a prova viva!
Entre as lições que vamos acumulando ao longo da vida, uma é que devemos fazer a avaliação do que pode impedir a concretização de nossos objetivos. Também aprendemos a identificar formas alternativas de superar os obstáculos e minimizar impactos negativos quando não obtemos o desejado sucesso.
Não atravessamos a rua sem olhar para os lados, não nadamos em rios com correnteza, não cutucamos a onça com vara curta....  
Quando nos tornamos adultos e maduros começamos a nos preocupar com planos de saúde, aposentadoria e seguros de vida.
Ao utilizarmos este conjuntos de procedimentos estamos fazendo a gestão do risco que pode impedir a nossa sobrevivência. Este conjunto de procedimentos adotados,  resumidamente, são a síntese de uma gestão de risco.
Quando utilizamos um reservatório, contido por uma barragem, que acondiciona milhões de litros de lama e substâncias poluentes devemos avaliar o que poderá colocar em risco esta contenção e devemos também avaliar as possíveis consequência do rompimento desta barragem. Adotar as medidas preventivas e corretivas é consequência destas avaliações e a este processo damos o nome de gestão de risco. O diagrama bow-tie abaixo apresentado é uma ferramenta extremamente útil para registrar este trabalho e divulgá-lo. A comunicação da gestão de risco é fundamental para todos os envolvidos, direta ou indiretamente. Todos tem que ter conhecimento da capacidade de resposta, inclusive com seus pontos fracos, e das possíveis consequências da sua ocorrência.



Quando um desastre como o do rompimento das barreiras da Samarco no município de Mariana acontece, é evidente que a gestão de risco foi inadequada. Tanto na parte preventiva quanto na parte reativa, de mitigação dos impactos.

Todos os gestores de risco devem estudar este caso e daí tirar as lições necessárias para que os desastres não aconteçam com impacto tão violento como este que estamos acompanhando nos últimos dias, com o agravante de que até o momento não temos ainda completa percepção do tamanho real da destruição decorrente. 

Nenhum comentário: