quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

O Carnaval de 2015 vem aí

O Carnaval está chegando. Milhares de pessoas irão se divertir nos blocos, ensaios, e praias. A cada ano cresce o número de pessoas nas ruas do Rio de Janeiro aproveitando essa festa . E a cada ano a multidão se faz sentir cada vez mais multidão. Há sobrecarga nos transportes, banheiros, e espaços públicos. É muita gente para o espaço disponível e para a infraestrutura possível de se dispor.
O desafio da cidade do Rio de Janeiro é conciliar a festa com a segurança. E está cada vez  mais difícil fazer com que a segurança seja compatível com o tamanho do evento.
A gestão de multidão tem como ponto de partida a adequação do espaço do evento com o público esperado. Para o carnaval de 2015 o público esperado é maior do que o de 2014. O Rio de Janeiro tem aparecido positivamente na mídia como sendo uma cidade onde a festa é uma constante. A Jornada Mundial da Juventude, em 2014, foi um sucesso na mídia, a Copa das Confederações e a Copa do Mundo também foram eventos que deixaram imagens positivas. E o resultado é que no mês de fevereiro o Rio de Janeiro estará com lotação máxima. Ou melhor, com superlotação. Cidades como Búzios e Cabo Frio experimentam esta situação, mas em menor escala. No Rio de Janeiro estaremos recebendo milhões de pessoas.
A operação da cidade e de seus serviços será exigida ao máximo. A segurança é uma responsabilidade do Estado, mas a operação dos serviços nem sempre é. Cabe ao poder público ordenar e cuidar para que os serviços sejam oferecidos com a devida segurança e conforto.
Locais turísticos tem que ter uma operação compatível com a demanda esperada. A estátua do Cristo Redentor é um ex
emplo de uma operação super demandada. Sempre que houver um grande evento na cidade do Rio de Janeiro haverá excesso de demanda no acesso ao Corcovado. Não será possível atender a todos, mas é obrigatório que todos sejam tratados com eficiência, conforto e segurança. Sempre que um destes pontos não for atendido satisfatoriamente haverá uma queixa, podendo até resultar numa questão de segurança pública. Existe uma capacidade de atendimento que é fisicamente impossível de ser ampliada. O espaço do Cristo Redentor tem uma capacidade limitada e esta capacidade é a que determina o número de visitantes máximo que poderá ser recebido.
Espaços com serviços compatíveis ao tamanho do público, informação suficiente e equipe competente são essenciais para o sucesso dos eventos. Só assim, o Rio de Janeiro pode oferecer a todo público uma experiência agradável segura e confortável.

Só nos resta esperar que não tenhamos novamente manchetes e reportagens dizendo que durante o carnaval houve uma grande fila em algum lugar, que a fila era uma bagunça, que não havia informação, que os atendentes eram despreparado, que faltava água, sombra...

Um comentário:

Viviane Duarte disse...

Excelente artigo, professor, vou divulgá-lo.